Skip to content

A ti, que me empurraste para o desconhecido, que me fizeste lutar por ti, como se lutasse por mim…
A ti, meu Amor do alto, que vagueias entre estrelas e me arrebatas nas noites escuras… e me fazes acreditar no equilibrio da Vida!
A ti, que me fizeste perceber que o vazio terminou e que a serenidade existe…
A ti que estás entre feixes e estrelas…até já...

Isaa, numa madrugada de 2016.